Altar de Pérgamo

Altar de Pérgamo

O Altar de Pérgamo é uma construção monumental construída durante o reinado do rei Eumenes II, por volta do ano de 170 a.C., em um dos terraços da acrópole da antiga cidade grega de Pérgamo na Ásia Menor (atual Bergama, na Turquia).

A estrutura tem 35,64 metros de largura e 33,4 metros de profundidade. A escada da frente tem quase 20 metros de largura. A base é decorada com um friso em alto relevo com 113 metros de comprimento, mostrando a chamada Gigantomaquia (a guerra entre os deuses e os gigantes).

Há um segundo, menor e menos bem preservado friso de alto relevo nas paredes internas da quadra que circundam o altar de fogo real no nível superior da estrutura no topo das escadas. Em um conjunto de cenas consecutivas, retrata eventos da vida de Telephus, lendário fundador da cidade de Pérgamo.

A construção, que sofrera muito com o tempo e estava destruída, foi escavada, no final do século 19, em seu sítio original, e suas partes enviadas para a Alemanha por uma expedição arqueológica liderada por Carl Humann, que, na época, em acordo com o governo da Turquia, trouxe para Berlim os objetos e relíquias escavados.

O altar foi está abrigado no Museu Pérgamo em Berlim, onde pode ser visto junto a outras estruturas monumentais como o Portão do Mercado de Mileto e a Porta de Ishtar da Babilônia.

Museu de Pérgamo (Pergamon Museum). Staatliche Museen zu Berlin. Bodestraße 1-3, Ilha dos Museus – Berlin, Alemanha. Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h. Quinta, das 10h às 20h.

Durante o atual estágio de reformas, o salão que contém o Altar de Pérgamo deverá permanecer fechado até 2023. A ala norte e a galeria de arte helenística também são afetadas pelo fechamento. A Ala Sul do Museu de Pérgamo, com o Porta do Mercado de Mileto, a Porta de Ishtar e o Caminho Processional da Babilônia, e o Museu de Arte Islâmica, não são afetados e estão abertos ao público durante esse período.

Fique atento! O horário pode sofrer modificação. Consulte o site oficial da instituição.


Depois de poucos anos (1901-1908), o museu provou ser muito pequeno do ponto de vista da construção. Então os museus de Berlim decidiram construir um novo e maior – o atual Museu Pergamon, que foi aberto ao público em 1930. O lado oeste do altar e o grande friso representando a Batalha dos Deuses e os Gigantes encontraram seu local apropriado na sala de exposição central do museu. Depois da Segunda Guerra Mundial, o Exército Vermelho transportou os frisos para Leningrado. O altar foi restituído em 1958. Entre 1994 e 2004, seguiram-se, sob a liderança de Silvano Bertlin e sua oficina, uma restauração completa de frisos de altar.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *