Exposição de Burle Marx em Nova York

História das Artes > Sala dos Professores > Exposição de Burle Marx em Nova York
Exposição de Burle Marx em Nova York

A exposição “Roberto Burle Marx: Modernista Brasileiro”, em cartaz no Museu Judaico de Nova York até dia 18 de setembro, tem como uma das principais obras a tapeçaria emprestada pela Prefeitura de Santo André, na região do Grande ABC, em São Paulo. A obra, que ganhou destaque na mostra, conta com 26,38 metros de comprimento e 3,27 metros de altura, avaliada em R$ 3 milhões.

O empréstimo foi aprovado pelos órgãos de preservação do patrimônio e foi necessária ainda uma autorização do Iphan para a saída da obra do País. O Museu Judaico de Nova York, em contrapartida, subsidiará a restauração das luminárias do saguão do Teatro Municipal. Para tanto, o valor de R$ 38 mil – já depositado – será destinado ao Fundo Municipal de Cultura exclusivamente para este fim.

O artista abraçou o modernismo no início de 1930, no momento em que o movimento artístico tomava conta do Brasil. Ele revolucionou o design dos jardins usando abstração e grandes alamedas coloridas com a vegetação local, abolindo simetria e rejeitando a flora importada e os modelos europeus. Filho de pai judeu alemão e mãe católica brasileira, ele traduzia para seus jardins o preenchimento dos espaços entre a humanidade e a natureza.

Os jardins de Burle Marx são obras de arte moderna, não só porque eles fazem uso de superfícies planas, formas abstratas e cores ousadas, mas por causa da forma como se comportam: eles solicitam o estado de consciência de si mesmo em relação ao ambiente construído.

Burle Marx utilizava o cruzamento de gêneros de forma fluida, integrando arte com preocupações políticas como a ecologia. Portanto, não é surpresa que os artistas de hoje encontram no trabalho dele uma fonte fecunda de inspiração.

Nesta exposição, sete artistas com laços com a América Latina, todos nascidos depois de 1950, apresentam uma amostra de sua influência. São eles: Juan Araujo, Paloma Bosque, Dominique Gonzalez-Foerster, Luisa Lambri, Arto Lindsay, Nick Mauss e Beatriz Milhazes.

Após sua apresentação no Museu Judaico, em Nova York, a exposição viajará para o Deutsche Bank Kunsthalle, em Berlim, e para o Museu de Arte do Rio, no Rio de Janeiro.

agendaThe Jewish Museum. 1109 5th Ave at 92nd St, New York, NY. Aberto todos os dias, das 11h às 17h45, fechado às quartas.

 


SaibaMais

A tapeçaria está instalada no salão nobre do 9º andar do prédio do Executivo, no Paço Municipal – projetado pelo arquiteto Rino Levi – desde a inauguração do prédio, em 1969. Outro trabalho de Burle Marx no local é o painel em concreto no saguão do Teatro Municipal e todo paisagismo do Paço. Esta não é a primeira vez que a obra sai da cidade para participar de exposição.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *