O relógio astronômico de Praga

História das Artes > Sala dos Professores > O relógio astronômico de Praga
O relógio astronômico de Praga

O relógio astronômico de Praga, na República Tcheca, feito pelo relojoeiro Mikuláš de Kadan é lindo de se ver e também um dos relógios mais antigos e mais detalhados já fabricados no mundo. Ele fica na fachada da Prefeitura e é uma das principais atrações da cidade. 

Muitas lendas envolvem o relógio astronômico de Praga. Uma delas diz que um homem chamado Mestre Hanuš o teria construído. A obra-prima era tão surpreendente que as autoridades da cidade temiam que ele construísse relógios similares por toda parte, roubando assim a fama de Praga. Para impedir que o Mestre Hanuš fizesse isso, contrataram homens para atacá-lo e cegá-lo. A lenda termina com o moribundo Hanuš alcançando as engrenagens do relógio e destruindo-o.

Felizmente, isso é só uma lenda. A obra-prima foi instalada em 1410 e reconstruída em 1490 pelo relojoeiro, Mestre Hanuš, um relojoeiro em Praga de 1475 a 1497. Por muitos séculos acreditou-se que ele era o criador do relógio, até que se achou um documento, em 1961, que revelou a verdadeira história, mostrando que Mikuláš de Kadaň construiu-o em 1410, e Hanuš o reconstruiu em 1490. Desde o século 16, o mecanismo de marcação do tempo foi consertado e reconstruído diversas vezes.

Detalhes arquitetônicos da fachada

Na fachada do relógio, além dos 12 apóstolos, há 8 outras estátuas. Nas laterais, na parte mais alta do mostrador, à esquerda, a Vaidade, com um espelho na mão, e a Avareza, segurando um saco de dinheiro. Do lado direito, a Morte, que segura uma ampulheta, e a Invasão Pagã. Ressaltamos que essas estátuas representavam as maiores preocupações da população de Praga.

As figuras em torno do calendário são, da esquerda para a direita, um Cronista, um Anjo, um Astrônomo e um Filósofo. Estas estátuas podem ser interpretadas como as quatro fontes mais importantes da arte e da cultura de Praga da época.

O calendário sob o mostrador do relógio é uma réplica de uma pintura do tcheco Josef Mánes, produzida em 1866. Nesta peça está representado todo o conhecimento astronômico da época, assim como 12 cenas representando as quatro estações climáticas que, ao mesmo tempo, celebram a vida rural da região da Boêmia.

Um olhar mais atento no relógio

O seu elemento mais antigo e mais engenhoso é o mostrador astronômico. O que ele informa? Em primeiro lugar, a hora. O anel externo, escuro, tem numerais góticos de ouro, segundo o antigo sistema tcheco de dividir o dia em 24 horas a partir do pôr-do-sol. Esse anel gira para que a 24a. hora coincida com o pôr-do-sol, independentemente da época do ano. Os numerais romanos, logo depois do anel externo, dividem o dia em dois períodos de 12 horas, com o meio-dia no topo e a meia-noite embaixo. Os dedos de uma mão dourada apontam a hora.

Também no mostrador astronômico, o movimento de um grande disco dourado indica a trajetória do Sol, ao passo que uma pequena esfera mostra as fases da Lua. A rotação aparente do céu estrelado ao redor da Terra é mostrada por um anel menor e excêntrico, marcado com os signos das constelações.

No meio do mostrador do relógio está colocada a Terra — incluindo os meridianos, os paralelos e os pólos — com Praga ao centro. No mostrador há também três círculos que representam a linha do Equador e os trópicos de Câncer e de Capricórnio. Assim, o mostrador indica as posições relativas da Terra, da Lua, do Sol e das estrelas durante o ano todo. Abaixo do mostrador astronômico está o disco do calendário, onde foram pintadas cenas típicas do país, representando cada mês do ano. O disco do calendário indica a data, avançando um dos 365 passos toda noite à meia-noite, exceto uma noite nos anos bissextos.

Estatuetas em movimento

Diariamente, a cada hora cheia, das 8h às 20h, todo o mecanismo ganha vida. Além do movimento mecânico dos apóstolos, há outras estatuetas que se movimentam na parte externa do relógio. A mudança da hora neste relógio é antecedida por um espetáculo. A demonstração é iniciada com a estátua da morte virando sua ampulheta. Ao mesmo tempo, é iniciada a parada dos 12 apóstolos. A ordem do aparecimento é na janela esquerda: Paulo com um livro e uma espada, Tomé com uma lança, Judas com um livro, Simão com uma serra, Bartolomeu com um livro e José com um pergaminho. E na janela direita: Pedro com uma chave, Mateus com um machado,  João com uma cobra, André com uma cruz, Filipe com uma cruz e João Evangelista com uma clava. A mudança de horário é feita logo após ao cacarejo do galo, que fica no topo do relógio.

Alguns detalhes do relógio não são bíblicos, como Judas Iscariotes e Tiago, filho de Alfeu, que foram substituídos por Paulo e Barnabé, que não eram contados entre os 12 apóstolos na Bíblia. Ao redor da cabeça de cada apóstolo há uma auréola, um símbolo pagão que não era usado pelos primeiros cristãos.

Tempo babilônico
O relógio astronômico de Praga indica várias horas: a hora astronômica, a centro-europeia, a tcheca antiga e a babilônica. Esse relógio de Praga é o único no mundo que pode dizer a hora babilônica.

 

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *