Solar Marquesa de Santos – Museu da Cidade de São Paulo

História das Artes > Museus > Solar Marquesa de Santos – Museu da Cidade de São Paulo
Solar Marquesa de Santos – Museu da Cidade de São Paulo

O Solar da Marquesa de Santos, localizado na região central de São Paulo, é sede do Museu da Cidade de São Paulo e recebe diversas exposições culturais.

A residência, feita à base de taipa de pilão, foi construída por volta da segunda metade do século XVIII.

As primeiras referências em documentos ao Solar da Marquesa de Santos são datadas do período entre 1739 e 1754, que mostram a existência de quatro casas na Rua do Carmo (atual Rua Roberto Simonsen) pertencentes a André Alvares de Castro.

Entre 1834 e 1867, o prédio serviu de moradia para Domitila de Castro Canto e Melo, conhecida como Marquesa de Santos, que adquiriu o imóvel da herdeira do Brigadeiro Joaquim de Moraes Leme, por onze contos e quatrocentos mil réis, e faz várias alterações no imóvel durante o tempo em que foi proprietária, entre 1834 e 1867. Após o rompimento de suas relações com D. Pedro I.

Por conta das famosas festas, saraus e bailes realizados pela Marquesa, a residência passou a ser chamado de Palacete do Carmo, e ficou conhecido como um dos mais aristocráticos imóveis paulistas.

Com a morte de Maria Domitila em 1867, a propriedade do Solar passou para seu filho, o Comendador Felício Pinto de Mendonça e Castro.

Em 1880, foi colocada em leilão e comprada pela Mitra Diocesana, que instalou no local o Palácio Episcopal.

A entidade realizou diversas obras no local, resultando em modificações na estrutura.

Entre 1909 e 1967, o imóvel foi utilizado pela The São Paulo Gaz Company, que fez outras mudanças no prédio até ser desapropriado pelo Prefeitura Municipal.

Em 1971, o Solar foi tombado como monumento histórico do Estado de São Paulo e nomeado como patrimônio municipal.

No ano de 1975, tornou-se sede da Secretaria Municipal de Cultura.

Por conta das diversas alterações na estrutura, o imóvel precisou passar por duas restaurações, a primeira na década de 1960 e a segunda em 1990.

O primeiro piso ainda preserva as paredes originais de taipa de pilão e pau-a-pique originais do século XVIII.

Houve uma provável junção de duas dessas casas de taipa de pilão, que teria originado o Solar, de acordo com os registros daquele século e análises de arquitetura elaboradas pelo Departamento do Patrimônio Histórico.

Em 15 de junho de 1971, o Solar da Marquesa de Santos foi tombado como monumento histórico do Estado de São Paulo e incorporado ao patrimônio municipal.

No ano de 1975, tornou-se sede da Secretaria Municipal de Cultura e do recém criado Departamento do Patrimônio Histórico.

As adaptações feitas no imóvel durante os vários usos do local fizeram com que suas características originais fossem modificadas.

Por conta desse fator, em 1991 foram realizadas obras de restauro com base em análises da evolução construtiva do imóvel.

O restauro realizado no Solar, preservou as características das diversas modificações feitas durante a construção.

Os ambientes do térreo foram conservados, os vestígios da calçada utilizada no século XVIII foram preservadas no pátio interno e as intervenções realizadas durante os anos 60 foram desfeitas e demolidas.

Ainda durante a fase de restauração, as paredes de pau a pique e taipa de pilão foram conservadas e deixadas a mostra, assim como foi feito também com algumas pinturas e pisos.

Para finalizar a restauração, as características neoclássicas de 1965 foram mantidas na fachada. O Solar passou por mais duas restaurações, em 1996 e entre 2008 e 2011. Após a conclusão do processo de restauração, a residência foi reaberta ao público em 19 de novembro de 2011.

As restaurações feitas no Solar foram responsáveis por manter e trazer de volta características que haviam sido modificadas no século XIX, como os forros apainelados, os assoalhos nos pisos e pinturas. Atualmente, o Solar da Marquesa de Santos é usado como sede do Museu da Cidade de São Paulo e recebe diversas exposições.

Detalhes do interior do Solar:

 

Solar da Marquesa de Santos. Rua Roberto Símonsen, 136 – Centro, São Paulo – SP. Aberto de terça a domingo, das 9h às 17h.

Fique atento! Horários podem mudar sem aviso prévio. Consulte sempre os sites oficiais.

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *