Assemblage

Assemblage

O termo origina-se do francês e significa montagem. Ao primeiro olhar, a assemblage pode parecer uma arte estranha.

Na realidade, é um trabalho no qual o artista une objetos, por colagem ou encaixe, expressando o seu imaginário. Os objetos que fazem parte das obras permanecem em seu estado original, mas, unidos, parecem diferentes.

O termo Assemblage foi incorporado às artes, em 1953, pelo pintor e gravador francês Jean Dubuffet para a exposição The Art of Assemblage, no Museu de Arte Moderna – MoMA – de Nova York em 1961.

Ao se utilizar de diversos materiais como papéis, tecidos, madeira “colados” a uma tela o artista consegue ultrapassar as limitações da superfície, rompendo assim o limite da pintura, criando uma junção da pintura com a escultura.

Mas, esse tipo de obra artística já vinha sendo produzida desde o começo do século 20, como nas colagens cubistas feitas por Pablo Picasso e Georges Braque, nas esculturas dos futuristas e no dadaísmo, sobretudo pelo ready-made de Marcel Duchamp.

E obras do polonês radicado no Brasil pelas obras de Franz Krajcberg e os brasileiros Wesley Duke Lee e Arthur Bispo do Rosário.

Suas obras:

pincel

Para elaborar uma assemblage é preciso pensar nos objetos selecionados como elementos de arte. Só assim é possível criar uma composição original.

Recolha os objetos que você quer realçar na sua obra e faça a montagem no suporte que pode ser: uma caixa, um papelão pintado, uma tela ou o que a sua criatividade sugerir.

quadro

Fotografe a sua assemblage e disponibilize nas nossas redes sociais #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *