A Natividade, Federico Barocci

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > A Natividade, Federico Barocci
A Natividade, Federico Barocci

O quadro foi pintado em 1597 para o duque de Urbino, Francesco Maria II della Rovere, principal mecenas do pintor.

Características do estilo de Barocci, a obra pertence à última fase da carreira, época em que abandonou Roma e se retirou para a sua cidade natal, Urbino, doente e temeroso de que os seus rivais tentassem envenená-lo.

A estrutura da composição, baseada nos modelos dos grandes mestres do Renascimento, é feita sobre a diagonal do braço estendido de São José, que convida os pastores a entrar no aposento, e da Virgem, em estática contemplação do Menino.

O contraste entre as luzes e as sombras, criado pela divina fonte luminosa, e a íntima atmosfera familiar concorrem para suscitar uma sutil corrente sentimental e narrativa que antecipa temas barrocos, embora imersa na refinada busca formal e no extensivo cromatismo próprios do maneirismo.

A sofisticada utilização da paleta, o sutil sfumato e a descrição dos afetos foram louvados pelos críticos como modelo de referência pelas sucessivas gerações de pintores.

Os esboços dispersos em vários museus provam a longa elaboração gráfica de Barocci notoriamente lento na execução.

De notável realismo é o fragmento com o boi e o burro, envoltos pela luz artificial divina na escuridão do humilde estábulo.

A Natividade, 1597, óleo sobre tela, 134 x 105 cm, Federico Barocci, Museu do Prado, Madri.

pincelAgora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Federico Barocci, experimente desenvolver sua releitura sobre o tema, inspire-se em uma cena familiar e simbólico, e use o material colorido que você mais gostar.

quadroFotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas nossas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *