O 2 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya

História das Artes > Olho-vivo > Análise Estética > Obras Analisadas > O 2 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya
O 2 de Maio de 1808 em Madri, Francisco de Goya

Em 1814, Goya pediu ao Conselho de Regência para ilustrar os episódios mais relevantes da insurreição de Madri contra as tropas de Napoleão, ocorrida seis anos antes.

Em contato com os círculos liberais afrancesados, o pintor foi simultaneamente testemunha da brutalidade do conflito e das sanguinárias repressões contra os camponeses espanhóis.

A cena representa o ataque da população madrilena contra as forças de ocupação francesas, representadas aqui pela cavalaria mameluca (egípcios a soldo do general Murat) e pelos dragões napoleônicos, nos quais parece renovar-se o conflito histórico contra os Mouros.

A composição amplia-se e invade a direita através das figuras dos cavalos em corrida: apavorados sob as espadas brilhantes, acentuam com movimento a galope a multiplicidade de elementos que convergem no grupo assaltado.

Devido a isso, a cena escapa a qualquer representação tradicional, para se apresentar como um ato fugaz, um instantâneo captado e plasmado na tela: aqui não há herói, apenas a ferocidade nua e crua e a violência louca, as quais alteram as expressões dos rostos e suscitam gestos frenéticos e desesperados.

A obra pertence ao acervo do Museu do Prado em Madri.

O 2 de Maio de 1808 em Madri, 1814, óleo sobre tela, 268 x 347 cm, Francisco de Goya, Museu do Prado, Madri.

Agora que você sabe mais detalhes sobre esse quadro de Goya, experimente fazer uma releitura dele ou criar uma cena que represente um momento histórico do Brasil.

Fotografe seu trabalho e compartilhe sua experiência conosco, nas redes sociais, usando a #historiadasartestalento

PESSOAS QUE LERAM ISSO, TAMBÉM GOSTARAM....

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *